Surra de Lúpulo Ep.108 – Mitos Cervejeiros com Henrique Boaventura

Quebradores de mitos cervejeiros com Henrique Boaventura

 

No episódio de hoje do Surra de Lúpulo, seu podcast favorito sobre cervejas artesanais, vamos falar sobre os mitos cervejeiros, aquelas fake news que rolam na mesa de bar e todo mundo acredita. Pra isso, chamamos o incrível Henrique Boaventura, cervejeiro caseiro desde 2012, Juiz Nacional da BJCP, sommelier e host do podcast Brassagem ForteOuça na íntegra:

 

 

Mito cervejeiro 1: Não é possível fazer cerveja boa em equipamento de alumínio.

 

Muitos acreditam no mito cervejeiro que equipamentos de alumínio dão um gosto metálico para a cerveja. Entretanto, Henrique explica que isso realmente não passa de fake news de bar.

 

(5’50”): Um dia eu ainda vou saber por que a pessoa fica divulgando isso. É um desserviço do tamanho de um trem (risos). […] Eu gosto sempre de citar o Estevan, que ganhou um prêmio de melhor cervejeiro caseiro em 2015, ele e Lucas Meneghetti, que faziam cerveja em panela de alumínio. Então não faz sentido essa afirmação.

 

Veredito: Mito ❌

 

Mito cervejeiro 2: Cerveja de garrafa é mais gostosa que a de lata?

 

 

Geralmente temos essa impressão de que cerveja de garrafa vem mais gelada, desce melhor, do que a de latinha. Henrique explica que esse mito cervejeiro pode ser verdade e também não pode ser.

 

(9’00”): Cerveja de garrafa é mais gostosa. Tem algumas coisas que a gente precisa colocar em questão de por que que a gente tem essa comparação sempre entre garrafa e lata. Primeira coisa, as garrafas sempre vão ter mais exposição à luz – como garrafas transparentes, garrafas de vidro… temos garrafas âmbar que têm menos exposição à luz. E temos latas que não tem exposição à luz. Isso, per se, claro, tem vários processos pra evitar que aconteça essa oxidação pela luz. […] Mas a presença de oxigênio vai impactar também no resultado final.

 

Veredito: Depende de quem está bebendo! A química explica, mas o paladar é de cada um. ✔️

 

Mito cervejeiro 3: Você precisa fazer a trasfega para fazer a maturação.

 

Antes de mais nada, trasfega é o ato de transferir a cerveja já finalizada, de um fermentador para um outro recipiente, que vai guardar esse líquido. Agora que estamos entendidos, vamos conferir a resposta do nosso convidado:

 

(13’37”): É um mito que está muito relacionado às origens de fabricação da cerveja em casa. Quando a gente fabricava nos remotos tempos da cerveja marota, os sumos que a gente tinha pra fabricar eram sumos sofridos… a levedura é um bom exemplo disso. Ela chegava no final do processo de fermentação e já tinham muitas células mortas, e isso dava um flavour metálico, de carne… […] Hoje em dia, temos acesso a levedura fresca, então isso deixou de ser um problema. Algumas cervejas tem a maturação inicial feita em barril de inox, e então são transferidas para barril de madeira e vai ficar lá. E em maturações muito longas, é de bom tom fazer essa transferência. 

 

Veredito: Mito. ❌

 

Mito cervejeiro 4: Existe mais chance de ter dor de cabeça bebendo cerveja que tem milho na receita?

 

 

Quem nunca ouviu esse papo de que cerveja com milho desce mal? Será que esse mito cervejeiro é verdade?

 

(17’00”): Existe muito mais chance de ter dor de cabeça bebendo cerveja ruim ou mal feita. Seja ela artesanal ou não. Isso tá muito mais relacionado ao processo do que ao uso do milho, per se. A questão é que o uso do milho está muito associado a cervejas de produção em massa, das big players. […] Algumas big players fazem a cerveja em até 4 dias, e isso é um processo muito rápido – e muitas vezes tem algumas falhas no processo. Essa aceleração do processo vai fazer a cerveja ter subproduto de fermentação (como acetaldeído) que pode causar dor de cabeça.

 

Ludmyla complementa que a hidratação é importante pra ajudar a evitar dor de cabeça durante uma cervejinha e outra.

 

Veredito: Mito. ❌

 

Mito cervejeiro 5: Fazer cerveja em casa é mais econômico do que consumir na rua?

 

Temos a impressão que por fazer a cerveja, vamos economizar à longo prazo. Mas é preciso entender que existem muitas variáveis nessa equação, como aponta Henrique:

 

(22’37”): É muito o meu dia a dia então vou dizer, é um mito! É um mito gigantesco. O hobby de fazer cerveja em casa não é mais econômico que consumir na rua. A questão é que fazer cerveja em casa não está ligado à economia. É mais sobre liberdade de fazer a cerveja que a gente quer. 

 

Veredito: Mito. ❌

 

Mito cervejeiro 6: A cerveja é mais saudável que bebidas destiladas?

 

 

Sempre temos aqueles amigos que preferem não beber destilados e ficar no chopp alegando que destilado faz mal, né? Até que ponto esse mito cervejeiro é real?

 

Henrique (27’53”): É mito, tá? É importante ressaltar que estamos falando de bebidas alcoólicas e bebidas alcoólicas levam a um nível de intoxicação. É importante pontuar que uísque e cachaça tem uma quantidade maior de teor alcoólico comparando com volume, e tem a questão também que a cerveja tem mais nutrientes – mas não necessariamente isso vai fazer ela mais saudável. […] Bebam de forma consciente e bebam cervejas de qualidade!

 

Veredito: Mito. ❌

 

Mito cervejeiro 7: Não devemos fazer priming com açúcar.

 

Priming é o processo de refermentação na cerveja que já está pronta. Muitos têm receios que o açúcar atrapalha esse processo. Entenda se é mito ou verdade:

 

(32’50”): É meio mito. Priming é um processo que assim que termina de fazer a cerveja, a gente adiciona uma dose extra de açúcar pra ser refermentado. Porque por mais cristalina que a cerveja esteja na garrafa, ainda tem leveduras em suspensão. Essa levedura pode consumir açúcar ainda e isso gera o CO2 – que vai formar uma pressão entre o líquido e a tampa da garrafa […]Só que a questão é que o açúcar de mesa é glicose e frutose juntos e quanto mais cadeias de açúcar tiver, mais vias metabólicas a levedura vai ter que fazer. […] Com o açúcar invertido (açúcar aquecido em água), a levedura vai cansar menos na hora de fermentar. […] Pra quem faz cerveja em casa, faz zero diferença!

 

Veredito: Meio mito, meio verdade. ✔️

 

Mito cervejeiro 8: Cerveja dá mais ressaca que outras bebidas?

 

 

Atire a primeira pedra quem nunca pensou que cerveja dá mais ou menos ressaca em comparação com outras bebidas alcóolicas. Será que Henrique consegue esclarecer essa questão?

 

Henrique (39’30”): Pode ser verdade, mas é melhor explicar. A gente já falou várias vezes que a cerveja é uma bebida alcoólica que intoxica o corpo. Em quantidades baixas, leva a uma euforia, mas em doses altas é intoxicação. Essa intoxicação vai ser gerada pelo etanol que está na cerveja e por conta do acetaldeído. […] Os nossos rins vão aumentar a bexiga drasticamente, levando a aumento de urina que leva a desidratação e o fígado vai começar a fazer hora extra pra tentar desintoxicar o sangue. Tudo isso está relacionado ao hábito de consumo e não sobre bebida x ou y. 

 

Veredito: Depende! ✔️

 

 


 

👉Ouça também Surra de Lúpulo: Mitos das Cervejas produzidas com Milho

👍 Gostou do nosso bate papo? Seja um apoiador do Surra de Lúpulo clicando aqui.

🍺 O que bebemos durante o programa? Henrique e Ludmyla bebem água, Leandro bebe Black Princess

👑 SURRA DE LÚPULO é apoiado por MECENAS EMPRESARIAIS, CERVEJA DA CASA, BRO’S BEER CERVEJARIA NARCOSE

 

Surra de Lúpulo

Surra de Lúpulo

Toda quinta-feira um episódio novinho em folha falando sobre tudo relacionado a cerveja no Brasil e o Mundo.