Surra de Lúpulo Ep102 – Empreendedorismo feminino com Fernanda Ueno (Japas Cervejaria)

Empreendedorismo feminino fernanda ueno

No episódio 102 do Surra de Lúpulo, nosso podcast sobre cervejas artesanais, falamos com Fernanda Ueno, food engineer (UFSC), beer sommelière (ABS), master brewer (UCDavis and IBD) e co-fundadora da Japas Cervejaria

A Japas é uma marca de cerveja artesanal nipo-brasileira criada por Maira Kimura, Fernanda Ueno e Yumi Shimada, com objetivo de disseminar a cultura asiática com sabores e rótulos super criativos. E é incrível conhecer uma marca de cerveja feita inteiramente por mulheres, mostrando que cerveja não só pode como deve entrar na lista de opções do empreendedorismo feminino.

Confira nosso bate papo:

 

 

Empreendedorismo feminino no Brasil e EUA

 

Fernanda explica que a Japas começou em 2014 e, a princípio, cobria apenas o mercado brasileiro. Desde 2019, a Japas Cervejaria passou a ser distribuída também nos Estados Unidos. Mesmo que ainda não cubra toda a região norte americana, podemos falar que essa expansão da Japas já é um sucesso.

 

Como estamos em dois países, tentamos acompanhar tudo de perto! Temos planilhas, grupos de whatsapp (risos)… Acompanhamos a produção, maturação, as frutas utilizadas, enfim – cuidamos de tudo mesmo. 

 

Para cada novo estado norte-americano que distribui a Japas, Fernanda explica que é necessário revisar contratos e procurar novos fornecedores, mostrando que todo esse processo é deveras trabalhoso.

 

Como funciona o processo de criação na Japas?

 

Empreendedorismo feminino: foto do rotulo da kawaii cerveja da japas
Rótulo da Kawaii Smoothie Beer IPA

 

Assim como existem diferenças na produção da Japas nos EUA e no Brasil, o processo de criação de receitas também varia de região por conta da logística e sazonalidade. 

 

Ficamos muito atentas aos ingredientes sazonais. Então estamos sempre trocando muito com nossos fornecedores para saber se o estoque de ingrediente x estará disponível na época y. No momento, já estamos falando sobre o estoque de limão yuzu, que usamos para produção da nossa cerveja sour. Enfim, varia muito – se é sazonalidade, nós trabalhamos os nomes, rótulos…

 

Fernanda ainda diz que nenhuma cerveja da Japas existe apenas por existir.

Todos os sabores tem um propósito dentro da marca, tendo como grande exemplo a Japas Kawaii Smoothie IPA, que apesar do nome significar “fofo” em japonês e seu líquido ser rosa, seu sabor tem notas super ácidas e seu rótulo possui uma framboesa vomitando arco-íris.

 

Cada cerveja é criada pensando nos mínimos detalhes do processo, sazonalidade, harmonização, rótulo e como dialoga com os ideais da Japas.

 

Empreendedorismo feminino: a cerveja e a carreira.

 

Fernanda começou sua carreira como cervejeira fazendo estágio em produção, na Colorado. Depois de concluir sua faculdade, voltou para a empresa em 2012 – desta vez como supervisora de produção. Além disso, Fernanda é food engineer, beer sommelière e master brewer. Chique demais esse currículo!

 

No final de 2020, surgiu uma demanda por melhoria de qualidade lá na Bélgica. Trabalhei muito próxima ao time de qualidade da Colorado e fiquei muito tempo em laboratório e estudando. Estava adorando! Ficava o dia todo na cervejaria. Hoje em dia sou gerente de integração de qualidade.

 

E a representatividade no mundo cervejeiro?

 

As fundadoras da japas cervejeiras
📸 Fotografia: @bruno.fujii | Assistência: @samucakim

 

Ludmyla levanta a questão da representatividade do empreendedorismo feminino cervejeiro e o quanto isso é importante num cenário como esse. Estamos falando de um ambiente em que a maioria dos consumidores são homens cis-hétero e brancos. Ter mulheres criando marcas e sabores é incrível e, principalmente ter mulheres nipo-brasileiras é sensacional. É levar a representatividade um passo além.

 

Temos essa noção de que nosso papel na Japas é muito importante por conta da luta pela representatividade de mulheres no meio asiático. Aprendemos muito no dia a dia com tudo isso e compartilhamos nosso aprendizado. É óbvio que trabalhar com cerveja sendo mulher no brasil é bem difícil – aliás, nos EUA também é difícil. A gente sempre sente que precisa fazer muito mais sendo mulheres no meio cervejeiro.

 

Fernanda complementa dizendo que a Japas tem muito cuidado com quem trabalham. O discurso das empresas precisa estar alinhados com os ideais da Japas porque afinal, representatividade importa e muito. As mulheres japonesas geralmente são vistas como frágeis e o trio criador da Japas está aqui para quebrar todos os estereótipos. 

 

O próprio nome Japas surgiu numa brincadeira, mas decidimos ressignificar o termo e usar pra gente. Usamos com orgulho e para difundir a cultura asiática. Em todo evento que fazemos, vem a comunidade japonesa em peso. As pessoas tem muito orgulho do nosso trabalho… Até nos aproximamos mais das nossas famílias com a Japas e fizemos rótulos especiais com os navios que trouxeram cada família ao Brasil.

 

Obrigada pelo bate papo incrível, Fernanda!

 

👉 Ouça também Surra de Lúpulo: Produção de cerveja caseira com Mariana Astolfi

👍 Gostou do nosso bate papo? Seja um apoiador do Surra de Lúpulo clicando aqui

🍺 O que bebemos durante o programa? Fernanda bebe Cantillon Geuze, Ludmyla bebe Fumaçônica Flower APA, Leandro bebe água (hidratação é importante! 💦).

👑 SURRA DE LÚPULO é apoiado por MECENAS EMPRESARIAIS, CERVEJA DA CASA e BRO’S BEER.

 

Surra de Lúpulo

Surra de Lúpulo

Toda quinta-feira um episódio novinho em folha falando sobre tudo relacionado a cerveja no Brasil e o Mundo.