Surra de Lúpulo Ep.120 – Pesquisa cervejeira com Bob Fonseca

pesquisa cervejeira

No episódio 120 do Surra de Lúpulo, tivemos a oportunidade de conversar com Bob Fonseca sobre pesquisas cervejeiras. O Bob é uma figura ilustríssima do meio cervejeiro, responsável pelo blog Cerveja na Mesa, do portal da Veja São Paulo, colunista de cervejas da Revista Menu e autor da enquete Os Melhores do Ano na Cerveja. Ouça na íntegra:

🍻 Aproveite para participar da nossa Pesquisa Retrato de Consumidores de Cerveja 2022 

 

 

O nascimento do Melhores do Ano:

 

Bob em 5’15”: Entrei no mercado de cerveja em 2007 mais seriamente e dois anos depois eu já tinha contato com cervejeiros caseiros e profissionais. Não sei se foi o Mauro Nogueira ou Ricardo Rosas, os dois cervejeiros caseiros do Rio de Janeiro, um deles em tom de piada sugeriu para criar a enquete, juntar a galera e fazer uma provocação, ver quem se sai melhor em cada categoria. E foi assim que começou… Em 2009, acho que tinham 39 pessoas votando, eram umas seis ou sete categorias, e era uma coisa muito pequena, focada no melhor mesmo. Eu publiquei num blog que eu tinha, e as pessoas se animaram. 

 

Bob explica que selecionava figuras importantes do meio cervejeiro para responder às perguntas e com o tempo, de forma orgânica, sua pesquisa passou a agregar outros temas.

 

Bob em 7’10”: Os hábitos de consumo foram mudando e as polêmicas do ano foram se desenvolvendo. E o legal era isso, era uma pesquisa aberta então você sabia o voto de cada um, então você não podia falar uma barbaridade porque estava sua cara exposta. E muita gente não participou por conta disso. Ou porque queria votar na própria cerveja ou porque poderia acabar dando uma opinião polêmica, mas é um efeito colateral inevitável. […] É cerveja, não é voto político, não tem porquê ficar escondendo sua opinião.

 

Como a pesquisa pode agregar:

 

 

Bob em 12’49”: O bem mais valioso de hoje não é nem tempo e nem dinheiro, é informação. Quanto mais informação você tiver sobre as pessoas, não só o seu consumidor, mas como qualquer pessoa é essencial para qualquer tipo de atividade. Seja econômica ou política. Quando você posta uma foto sua ou informações do seu celular, tem empresas que vão saber usar essa informação depois. A partir do momento em que a gente sai dessa posição de fornecedor de dados para trabalhar com dados, o que deveria acontecer no meio cervejeiro, você tem em sua mão um trunfo muito grande.  

 

Nosso convidado reforça que o mundo não é a nossa bolha de amigos e que quando saímos da bolha podemos nos surpreender com os diversos pensamentos – e cervejas – presentes no mercado. 

 

Bob em 18’36”: Falta pra gente conhecer o Brasil profundo da cerveja também. A galera que toma o chopp de bailão, como chamam no Sul, a versão light lager feita por microcervejarias. A gente não tem acesso a isso no dia a dia, então a pesquisa é essencial porque faz com que a gente conheça outras cervejas. Você conhece hábitos diferentes e cervejas diferentes sem estar necessariamente no lugar. Esse é o grande mérito de ter uma pesquisa bem feita.

 

Sobre a evolução do mercado cervejeiro:

 

 

Bob em 19’52”: Houve um aumento de atenção muito grande com relação às cervejas artesanais, e esse aumento levou cervejarias macros a mirar nas artesanais, a mirar nesse mercado, o que também gerou um impulsionamento de propaganda e interesse. E eu acho que isso é legal porque você só consegue convencer a pessoa a conhecer esse mercado quando ela já está exposta a um grau de informação ou pelo supermercado ou pela TV. Acho que houve uma melhoria muito grande em termos de qualidade e estabilidade, investimento em informação… você tem consumidores melhor preparados hoje e cervejeiros melhor preparados. Acho que esses são dois pontos primordiais. Negativamente acho que houve um retrocesso em termos de variação de estilos. Com todos os porém que você tinha no mercado há 10 anos atrás, você tinha uma variedade maior de outras escolas. Tem uma bolha RJ, SP e MG que são muito focados na escola americana, em 3 ou 4 estilos. Acho que isso é um retrocesso, né…

 

Nosso convidado explica também que a polarização política prejudica o mercado porque leva ao rompimento de associações.

 

A crise econômica, pesquisas e cerveja:

 

 

Bob em 25’39”: Eu acho curioso né que muitos cervejeiros, uns 8 entre 10 cervejeiros, são originários do TI. E acho curioso como não trazem análise de dados nessa área. […] Os cervejeiros do brasil falam muito da questão tributária, mas você tem que jogar com as cartas que você tem. Se você não conseguir mudar, você tem que jogar com as cartas que você tem. Não adianta você impor isso… Uma fábrica não pode se dar esse luxo de fazer cervejas muito caras. Se você não enquadra a sua produção, o mercado vai te enquadrar. A pesquisa seria o primeiro aviso, a primeira campainha… Se você não atende ela, acabou.

 

Previsões do mercado cervejeiro:

 

 

Bob em 29’27”: Vai ter nivelamento de pirâmides de cervejaria pela crise, um evento de seleção natural, muita gente fechando e pessoas mudando radicalmente o perfil de produção. Você tende a ter cervejas mais consistentes e mais fixas e com um preço melhor à disposição. Acho que vão voltar alguns estilos clássicos com um twist e outro. Provavelmente vai haver um investimento maior em chopp porque tenho ouvido muito cervejeiro falar que as garrafas estão a preços absurdos. As latas com preço absurdo também. Cervejeiro reclamando também de fornecedor de pet porque está tomando balão. Então a tendência é você buscar alternativas. Seja você agrupar, fazer uma compra coletiva ou tentar controlar o meio de produção… Mas acho que o próximo grande problema aí vai ser a questão do vasilhame. Tenho previsão de retração de consumo artesanal em prol de macro. A diferença de preço é muito grande no supermercado que é o principal ponto de venda. 

 

Sobre a nossa pesquisa 2021:

 

Bob em 38’13”: O ponto positivo que me chamou a atenção de cara foi a divisão de gêneros. Acho que a participação feminina é muito maior do que consegui nas minhas pesquisas e isso é excepcional. Tem que ter. Embora o mercado seja bastante masculinizado, pra não dizer machista – o que também é, você tem que tentar ter um equilíbrio. Você não pode com base numa questão cultural do mercado ter uma participação tão pequena de mulheres. Acho que a questão regional, a participação do nordeste estava muito alta e achei isso bem legal. A ideia de você expandir isso para outros mercados e outras realidades, até para fortalecer a troca de ideias.

 

Outros pontos que Bob gostou de levantar foi sobre a diminuição do consumo durante a semana.

Gostaram do nosso bate papo? Foi incrível! Obrigada por participar, Bob.

Não esqueçam de responder a Pesquisa Retrato do Consumidor Cervejeiro 2022 

Até a próxima!

 


 

👉 Ouça também Surra de Lúpulo: Surra de Lúpulo Ep.117 – Laboratório cervejeiro com Duan Ceola

👍Gostou do nosso bate papo? Seja um apoiador do Surra de Lúpuloclicando aqui.

🍺O que bebemos durante o programa? Bob bebe água tônica, Lud bebe água e Leandro bebe cerveja brooklyn da The Stonewall Inn.

👑SURRA DE LÚPULO é apoiado por MECENAS EMPRESARIAIS,CERVEJA DA CASA e CERVEJARIA NARCOSE

Surra de Lúpulo

Surra de Lúpulo

Toda quinta-feira um episódio novinho em folha falando sobre tudo relacionado a cerveja no Brasil e o Mundo.