Podcast Surra de Lúpulo, ep. 43: Cerveja da quebrada para todo o Brasil, com Leandro Sequelle

O convidado do episódio 43 do Surra de lúpulo, nosso podcast de cerveja artesanal, é Leandro Sequelle, fundador e CEO da Graja Beer, cerveja artesanal e colaborativa do distrito paulistano do Grajaú, feita “da quebrada, para a quebrada”. Degustando um de seus próprios rótulos enquanto batia um papo com a gente, Sequelle – apelido de Leandro Bastos de Andrade – falou especialmente sobre a democratização da cerveja nas periferias.

Formado em marketing, por toda a sua trajetória profissional, Sequelle esteve engajado com educação social, desenvolvendo projetos em ongs e escolas através da cultural hip-hop. “Sempre estive envolvido com a arte. Sou escritor, percussionista, e esses caminhos organicamente me levavam a celebrações entre amigos – para chorar, para dar risada – que eram sempre regadas a cerveja”. Essa paixão veio, logicamente, acompanhada de um pensamento crítico que foi o start para uma virada empreendedora.

“Nessas reuniões com os amigos, começamos a ter contato com as cervejas artesanais, em pubs e bares, e logo notamos que eram ambientes que não tinham a nossa cara. Nós nos identificávamos com os seguranças, com o pessoal da limpeza, com os garçons, mas não com aquele público consumidor de cerveja. Depois de amadurecer essa percepção, pensamos: por que não criar uma cerveja para chamar de nossa, feita entre amigos e para as pessoas daqui? Por que não gerar emprego dentro da comunidade, fortalecer a identidade e autoestima dessas pessoas?”

Uma cervejaria sociocolaborativa

Em 2016 o projeto ganhou vida e Sequelle começou a tocar a produção dos rótulos da Graja Beer em cervejarias parceiras. “Nosso projeto é de socio-empreendedorismo cultural, portanto sempre produzimos com cervejarias que se preocupam com a democratização da cerveja nas periferias, em movimentar economias locais. E temos essa preocupação também com as pessoas que empregamos, sempre profissionais excelentes, mas, que veem muitas portas do mercado de trabalho serem fechadas por estarem em grupos vulneráveis, como pessoas lgbtq+ e as mães solo. Chamamos essas pessoas para trabalhar com a gente. Nossa proposta é levar educação sobre cultura cervejeira e mercado cervejeiro de forma gratuita e plural e, ao mesmo tempo, gerar resultados e emancipação nesse microcosmos que é a periferia”, explica Sequelle.

Educação cervejeira pelo Brasil

Em parceria com o grupo Heineken e o Instituto da Cerveja Brasil (ICB), Leandro é curador de um projeto de educação cervejeira a ser levado para diversas comunidades periféricas em todo o país, como foco em capacitação profissional e mercado de trabalho. Por conta da pandemia da Covid-19 em 2020, a primeira turma (de 30 pessoas, onde 23 participantes são mulheres e, muitas delas, negras) está paralisada, mas os planos para 2021 são otimistas.

“As pessoas querem trabalhar com cerveja, consumir cerveja de outras formas, conhecer mais. Essa mudança é transformadora demais para o mercado e considero urgente que a gente cresça, sobretudo, no aspecto social. A cerveja é muito maior do que um pequeno público geek da cerveja. Os dados dessa turma tão heterogênea são uma pequena amostra de que não é viagem a proposta de democratização que a Graja Beer propaga há cinco, seis anos. Muita gente não chega a esse universo da cerveja por questões financeiras e geográficas e estamos aqui para mudar um pouco isso através de inquietação, busca de conhecimento e muita troca”, explica Sequelle.

A Graja Beer tem planos de expandir a logística de distribuição de seus rótulos ainda neste ano. Por enquanto, é possível degustá-la no Graja Beer Pub (Rua José Bonifácio Filho, 49 – Grajaú, São Paulo/SP. De quarta a domingo a partir das 19h, respeitando os protocolos de segurança da Prefeitura de São Paulo).

Surra de Lúpulo

Surra de Lúpulo

Toda quinta-feira um episódio novinho em folha falando sobre tudo relacionado a cerveja no Brasil e o Mundo.